sábado, 20 de outubro de 2012

SORTE E EXITO PESSOAL!!!

Por que será que há indivíduos que parecem predestinados a viver envoltos em um mar de sofrimento e angústia enquanto outros vivem uma vida próspera e feliz e toda a sorte parece fluir a seu favor?

Será que o destino age de maneira diversa, dependendo da simpatia ou antipatia, para com este ou aquele indivíduo?

Somos mesmo vítimas do “karma” gerado nesta e em outras encarnações e estamos pagando uma conta acumulada por erros e acertos feitos pela alma que desconhecemos?

Muitas são as respostas para esses questionamentos. Existem livros e livros de diferentes filosofias abordando o tema da condição humana. Cada qual tem uma resposta pronta que satisfaz a uma mente mediana. Mas o investigador crítico não se dá por satisfeito com aquilo que fere o princípio da razão embasada em princípios de harmonia e equilíbrio através dos quais as coisas são constituídas no universo.

Homens com idéias revolucionárias acerca da condição humana proliferaram em todos os tempos, oriundos das mais diversas culturas e povos. Estudaram, arduamente, os princípios e leis que regem o cosmos e, por analogia, chegaram a conclusões mais aceitáveis para o livre buscador que procura respostas coerentes.

Para dar continuidade, vejamos do que se trata a analogia:
A analogia, como sabemos, consiste em fazer comparações entre fatos semelhantes, ocorridos em várias instâncias, de forma sistemática e repetida. A partir de tais análises comparadas, o analista pode concluir uma hipótese apropriada para os fatores observados.

Assim, ao longo de seu desenvolvimento cultural, entre erros e acertos, muitos conhecimentos valiosos foram alicerçados nesses princípios de observação e análise, no que concerne às Leis aplicáveis à vida. Disso; foi nos outorgado um extenso cabedal de conhecimento no que diz respeito à descoberta de certas particularidades que regem a nossa condição e as nossas experiências.

Inicialmente, tais estudos eram classificados como ciências herméticas. Através delas, muitos mistérios foram revelados, ainda que para poucos, por motivos diversos que não necessitam ser colocados em pauta, no momento. Durante muito tempo, os segredos da vida foram hermeticamente velados, intencionalmente ou nem tanto, por sociedades ou pequenos grupos de pessoas.

Felizmente, não é mais assim. Os segredos da vida, hoje, estão disponíveis para quem quiser conhecer e utilizar. Há, atualmente, ainda muitas tendências filosóficas e correntes de pensamento filtrando o legado do conhecimento à sua própria maneira, criando análises mais racionais e mais coerentes acerca do poder oculto do homem.

Oculto?

Sim e não. O poder de atrair intencionalmente, ainda pode ser classificado como parcialmente oculto, porque as grandes analogias acerca das Leis da Vida ainda não podem ser expostas de forma concreta, sob o ângulo do pensamento racional. Mas já estamos aí com as novidades da física quântica, sinalizando o início da comprovação de universos paralelos e coexistentes, compostos de energia, interagindo com a matéria. Talvez, um dia, a ciência poderá andar de mãos dadas com o hermetismo abrindo, de vez, as últimas portas que fecham a passagem para a grande realidade das dimensões superiores, que influenciam a nossa vida. E, finalmente, ciência, filosofia e religião, juntas, caminharão rumo a tão sonhada emancipação da raça humana, até então, trancafiada dentro dos parcos limites dos conceitos materialistas. Descobriremos, então, que como tudo o mais que podemos ver, tocar ou sentir, somos condensação da Energia Universal Criadora. Aí, então, não haverá mais a distinção entre o material, o imaterial e o espiritual. Essa união gloriosa é a esperança dos aprendizes que, sem medo das limitações impostas pelos padrões sócio-culturais, avançam bravamente rumo à Fonte de onde todas as coisas se originam.

Enquanto a tão sonhada Era de Luz não se instala, definitivamente, no berço da raça humana, podemos nos utilizar dos lampejos intuitivos que inspiraram os buscadores da verdade e usufruir dos frutos já produzidos por eles. Os primeiros passos já foram dados e grandes estudiosos nos mostram através de suas análises, descobertas reveladoras que vem confirmar a realidade de que o azar e a sorte não são produtos efêmeros do acaso ou de um destino seletivo, injusto e desigual.

Primeiramente, vieram os místicos com suas análises transcendentais acerca da origem dos males e dos bens. Depois proliferaram os alquimistas, magos e filósofos com suas teorias de grande valor. Finalmente, os estudiosos modernos uniram todas as vertentes do conhecimento a uma análise quase científica, elaborada a partir da aplicação de técnicas evoluídas para utilização de tais "Leis".

Nasceu, então, o mentalismo atribuindo ao poder do subconsciente os resultados de seus êxitos em suas pesquisas. Apesar de falho em algumas de suas análises simplistas, evoluíram e continuam evoluindo, entre erros e acertos, demonstrando que é possível responder satisfatoriamente as inquisições proferidas acima.

Sim! Respondem os pesquisadores modernos. Existem formas de mudar o curso cego dos acontecimentos em nossa vida, transmutando aspectos negativos em positivos, bem como há uma razão lógica para explicar a origem do azar e da sorte. Tudo, absolutamente, tudo o que experimentamos, segundo eles, provém da nossa maneira de pensar e agir.

Simples assim?

Nem tanto!

A humanidade está muito longe do ponto de mutação que transmutará, coletivamente, os efeitos negativos acumulados durante séculos de ignorância das Leis e Princípios Universais que regem a vida. Mas, esse ponto no percurso da evolução humana já pode ser vislumbrado num futuro não muito remoto. Poderá ser alcançado pela coletividade somente quando, individualmente, uma grande parte dos seres deste planeta se dispuser a viver em concordância com tais princípios.

Apesar de distante para o homem como coletividade, isso pode ser iniciado agora, por cada ser que anseia pela transmutação de si mesmo. Não podemos mudar o mundo, mas podemos experimentar a nossa mudança interna. Essa mudança atrairá seres, circunstâncias e fatos que ocasionarão mudanças em série, através de um processo que, arbitrariamente, chamaremos aqui de "Magnetismo Pessoal".

Mas o que é isso?

Segundo os modernos estudiosos tudo, o que somos, é produzido através da força magnética que emitimos através de nossas freqüências vibratórias. Assim sendo, todos somos magnéticos. Somos energia, atraindo outras formas de energia constantemente, de acordo com as irradiações que emitimos. Assim, poderíamos dizer que o fator sorte é o resultado de uma energia positiva, que nós mesmos provocamos, enquanto que o azar é energia negativa, igualmente elaborada por nossa força criadora.

Ao gerarmos energias negativas, tais como o medo, a tristeza, a inveja ou o pessimismo, ficamos imersos nesses campos sombrios de energias de baixa vibração, presos por nossa própria teia de criações mentais que provocam, invariavelmente, a atração de energias de naturezas similares. O magnetismo pessoal seria, portanto, o acúmulo de diversos fatores de ordem energética, condensada por todos os seres humanos que entram em sintonia, inconscientemente ou não, com uma ou mais formas de energia. E, aí está a diferença entre o “sortudo” e o azarado; bem como, entre o vitorioso e o derrotado, entre os grandes e os pequenos: É o modo de utilização das energias que produz as diferenças. Em suma, somos seres magnéticos, atraindo sempre energias correspondentes aos padrões de vibrações que emitimos. Simples troca de energia. Doamos e recebemos de forma multiplicada aquilo que emitimos, de acordo com o princípio universal da expansão. Doar um bem traz, em si, o recebimento de um bem ainda maior porque a natureza do Universo é fazer crescer tudo aquilo que se inicia.

Diante de tais prerrogativas apresentadas pelos pesquisadores, é correto pressupor que temos o poder de transmutar, de forma intencional, as energias que fluem em nosso círculo vital. Basta elevar o nível das nossas freqüências de vibração emitidas por nossos pensamentos emocionalizados. Assim agindo, estaremos utilizando o nosso magnetismo pessoal de forma natural, ou seja: em concordância com os Princípios Cósmicos, atraindo fatos, circunstâncias e experiências que nos tragam mais bem-estar, alegria e felicidade.


Para os mentalistas modernos, bastaria pensar em coisas boas e positivas para que as mesmas nos tragam experiências boas e positivas. Livros e mais livros foram publicados a respeito. No entanto, essa visão simplista precisa ser superada, se quisermos, de fato, alcançar resultados mais concretos. É necessário aprender que imaginar o que se deseja nem sempre é suficiente para desencadear o processo criativo, já que o Universo não responde a pensamentos forçados, nem ouve palavras proferidas da boca pra fora. O Cósmico responde sempre a emanações de energia. Vibrações emitidas através da emoção que surge da alma do homem. O tesouro ou a maldição estão onde está o nosso coração, nosso sentimento.

Dito isto, fica aqui um desafio: experimente elevar diariamente seus padrões de energia, irradiando o bem, o bom, o justo e o belo para o universo que o cerca. E descubra, por si mesmo, as respostas para as intrigantes perguntas mencionadas no início desse texto:

Por que será que há indivíduos que parecem predestinados a viver envoltos em um mar de sofrimento e angústia enquanto outros vivem uma vida próspera e feliz e tudo parece fluir a seu favor?

Será que o destino age de maneira diversa, dependendo da simpatia ou antipatia, para com este ou aquele indivíduo?

Somos mesmo vítimas do “karma” gerado nesta e em outras encarnações e estamos pagando uma conta acumulada por erros e acertos feitos pela alma que desconhecemos?

Ouse experimentar emitir energias elevadas a partir de hoje e você obterá respostas mais coerentes para essas e muitas outras perguntas que afligem a humanidade.

Muita Luz e Paz em sua busca!


Fonte: http://www.acasadoaprendiz.com.br/sorte_e_exito.html

Seguidores